Aprendendo com o Corpo – Atividades transdisciplinares com conteúdos de diferentes disciplinas

Aprendendo com o Corpo – Atividades transdisciplinares com conteúdos de diferentes disciplinas

Caro(a) professor(a), iniciamos nossos trabalhos transdisciplinares na edição passada do nosso blog, introduzindo a didática de trabalho com projetos na sala de aula como uma metodologia inovadora, capaz de viabilizar o trabalho transdisciplinar na escola. Mas o que tratamos por trabalho com projetos não tem nada a ver com o que costumamos verificar em muitas empreitadas de “projetos educativos” que vemos por aí.  Para um aprofundamento maior sobre essa temática, sugerimos ler a sessão “Introdução ao trabalho pedagógico Transdisciplinar utilizando projetos”, do artigo “Arte e Transdisciplinariade”.

A seguir, reproduzimos os passos básicos de um verdadeiro trabalho com projetos na sala de aula:

Propomos como mecanismo básico, o trabalho com projetos na sala de aula, onde poderemos, a partir de um contexto emergente e mobilizador, elaborar projetos que visam solucionar um problema real socioambiental, ou proporcionar melhorias para a comunidade escolar, seu entorno, ou mesmo nosso estado, país, planeta.

De uma forma mais exemplificada, podemos esquematizar o trabalho com projetos na sala de aula desta forma:

1-    Professor e turma de alunos decidem o tema do projeto com base em alguma situação real que necessite de ajuda ou problemas socioambientais existentes na escola, comunidade, ou qualquer parte do planeta. É claro que para os alunos mais novos, os contextos mais próximos são mais acessíveis e mobilizadores. Já os maiores podem se mobilizar inclusive para algum tema em outro continente, como os problemas sociais da África ou ambientais dos Estados Unidos.

2-    Decidido o tema do projeto, novamente professores e alunos decidem o que querem promover a partir da temática escolhida. O fundamental é que essa produção tenha como objetivo principal algum tipo de mobilização com vistas a solucionar os problemas relacionados à temática, ou chamar a atenção da comunidade para essa questão, ou ainda ajudar minimamente a diminuir o impacto desses problemas.

3-    Definida então a meta a ser alcançada, passamos para a etapa seguinte que é o planejamento das etapas a serem conquistadas pela turma, juntamente com o professor,  para se atingir essa meta. Essa etapas devem ser claras para todos da turma e deve ser estabelecido um prazo determinado para se realizar cada etapa.

4-    Paralelamente a todo esse processo, o professor ou professores (quando envolvem turmas do fundamental 2 em diante, que possuem professores diferentes) está tentando distribuir os conteúdos disciplinares que melhor se adequam ao projeto. Ou seja, para que os alunos consigam realizar cada etapa do projeto deve-se obter determinado conhecimento relativo a conteúdos. Por exemplo, se uma das etapas é a elaboração de um cartaz para divulgação de uma campanha de solidariedade, pode-se trabalhar em matemática medidas, superfície, proporção; em português, pode-se trabalhar gramática, vocabulário, suportes de texto; em ciências pode-se trabalhar que recursos naturais são necessário para elaboração do papel, ecologia, etc…

A partir desses passos básicos podemos pensar em diferentes projetos onde os alunos poderão vivenciar diversas experiências capazes de proporcionar um aprendizado significativo de conteúdos das mais distintas áreas do conhecimento.

Por exemplo:

    • Linguagem: construir um jornal mural que explore os mais diferentes suportes de texto, fazendo com que os alunos tenham contato com regras gramaticais distintas. Ou ainda fazer uma revista com várias reportagens sobre determinado tema, onde os alunos terão que recortar imagens, fazer colagens, diagramar a página, sem o uso de computadores;
    • Matemática: fazer atividades rítmicas envolvendo movimentos corporais e acelerar o tempo ou reduzir, proporcionalmente, meio tempo, um quarto de tempo, incluindo os movimentos. Esse exercício pode fazer com que o aluno perceba as relações de proporção e fração. Outro trabalho interessante, ainda com ritmo, é fazer uma coreografia ritmada, onde os alunos possam resolver situações problemas relacionando tempo, deslocamento e ritmo.
    • Geografia: fazer pequenas excursões no bairro da escola; em bairros distante; nos limites da cidade, se possível, andar em ônibus urbano, metrô ou trem, visitar uma cidade vizinha, etc. Em cada uma dessas atividades, os alunos poderão apreender diferentes conteúdos da área.
    • História: todos os tipos de dramatização são bem vindos!!! Nesse ponto, arte e corpo se encontram e podem trabalhar diversos conteúdos, sempre de forma vivencial e significativa.
  • Ciências: plantar, colher, entrar em contato com animais, escutar os barulhos do corpo, fazer massagem em si mesmo, catalogar as árvores da redondeza, os tipos de terra, etc… As ciência naturais são beneficiadas por serem, em essência, desenvolvidas a partir de experimentos empíricos.

Essas e outras atividades podem ser desenvolvidas com seus alunos!!!

Ouse aventurar-se em atividades transdisciplinares, pois com certeza todos sairão ganhando: o professor terá mais liberdade para criar suas atividades, sem se prender ao livro didático; os alunos apreenderão de forma significativa seus conteúdos, incorporando-os; a escola se tornará dinâmica e pertencente à comunidade da qual faz parte!

Um grande abraço e até a próxima edição do nosso blog!

Profa. Patricia Limaverde

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s